Pular para o conteúdo principal

Seleção por competências para cargos comissionados


Em um ambiente de constantes mudanças, sejam elas econômicas, políticas ou sociais, as organizações necessitam desenvolver capacidades gerenciais para inovar e manterem-se ativas no mercado. Percebe-se que quando priorizam o alinhamento de metas estratégicas ao planejamento e gestão de pessoas tornam-se mais competitivas. A administração pública como organização reconhece que a gestão estratégica de pessoas é essencial para atrair, motivar, desenvolver seus servidores, bem como ter em seus quadros lideranças compatíveis com os desafios enfrentados pelo Estado, capazes de encabeçar mudanças estruturantes, alinhando os objetivos organizacionais às expectativas individuais (STACCIARINI, 2010).

Mas como atrair essas lideranças na administração pública?

A realização de concursos públicos para provimento de cargos e empregos públicos como regra, por si só, não se configura como a ferramenta mais adequada frente aos desafios da nova gestão pública; valendo-se o gestor, como alternativa, de cargos comissionados de livre provimento para o recrutamento de especialistas não disponíveis entre os servidores públicos. Porém, essa alternativa, muitas vezes, tem seguido o viés político em detrimento do interesse público.

Ainda assim, os novos paradigmas da administração pública passaram a exigir a adoção da seleção por competências no sentido da profissionalização da gestão pública e da utilização do critério meritocrático na escolha dos cargos comissionais, com vistas a democratização da oportunidade de ocupação de cargo comissionado e promoção da transparência na ocupação e no desempenho de função técnica específica. Para tal, a utilização de critérios claros e objetivos, baseados nas competências individuais, subsidiando os gestores nas escolhas das pessoas mais indicadas em cada caso, são a base dos processos seletivos internos.

Exemplos práticos do Rio de Janeiro, com o Programa Líderes Cariocas, e a iniciativa do Governo de Pernambuco, no âmbito interno de suas secretarias, de promover por meio de seleção interna, o recrutamento daqueles servidores interessados em ocupar as vagas de cargos em comissão e funções gratificadas, através da triagem de currículos, entrevistas e realização de testes e dinâmicas em busca do perfil ideal para aquela função.

Desde então, diversos outros exemplos tem se difundido no Brasil, tais como o do Ministério Público do Rio Grande do Norte, que realizou diversos processos seletivos para preencher alguns dos seus cargos comissionados; o do Ministério Público de Contas de Alagoas e o do Mato Grosso, como também o programa “Transforma Minas“, em Minas Gerais. No entanto, verifica-se que a implementação dessa boa prática fica atrelada a vontade política do gestor da pasta ou da iniciativa de alguns diretores ou ocupantes de cargos da alta gestão de forma pontual, o que compromete sua perenidade.

A seleção pública de cargos comissionados já é uma realidade, no entanto ainda pouco institucionalizada, e, ainda restringem-se ao âmbito interno das organizações, onde nem todos ganham dimensão para se consolidarem como programa de governo. Permeiam dúvidas em relação à confiabilidade dos processos seletivos, mesmo aqueles mais publicizados.

Desta forma, o debate se amplia na perspectiva de implementação de uma política pública em massa, que reforce a busca pela tríade eficiência, eficácia e efetividade, a partir de exemplos concretos de experiências internacionais e de iniciativas brasileiras de seleção de profissionais qualificados para ocupação dos cargos de livre provimento na Administração Pública, direta e indireta.

Em tempos de reforma administrativa, a profissionalização da gestão pública volta ao centro do debate, em especial a seleção por competências. O Decreto nº 9.727/2019, que estabelece os critérios gerais, perfil profissional e procedimentos para que cargos em comissão e funções de confiança de direção, chefia e assessoramento sejam ocupados no Poder Executivo Federal, dá o ponta pé para a promoção e implementação da boa prática de seleção para cargos em comissão e funções gratificadas, em busca do fortalecimento das capacidades da administração pública na escolha de profissionais qualificados para desempenhar as atividades dos respectivos cargos e funções.

Após quase um ano, resta ainda a necessidade iminente de avançar rumo à profissionalização da gestão pública e da meritocracia, no intuito de tornar as iniciativas isoladas em um prática institucionalizada no âmbito dos municípios e estados e de dar amplitude à política pública no Brasil.

Comentários

  1. Sou completamente a favor e penso ainda, que antes de falar da seleção por competências, deve-se voltar ao texto anterior que falava sobre planejamento e perguntar-se: a estrutura administrativa está otimizada? São necessários todos os cargos comissionados atuais? Ou é possível realizar adequações? Porque as gestões que se sucedem no poder, contratam apadrinhados para cumprir promessas de campanha. Pouco importa se o município comporta a folha de pagamento. Mas nós, que acreditamos na mudança, devemos pensar antes na economicidade e eficiência do quadro. A partir daí, sim; selecionar perfis adequados a cada função, como foi feito por um vereador da capital, onde tive a satisfação de ver um sobrinho passar em primeiro lugar, por mérito próprio.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

As Tops

REDE - Seja Pré-Candidato a Prefeito

Seja o Pré-candidatos à prefeito de Chapada dos Guimarães/MT, para as eleições 2020.

Processo será realizado em três etapas, sendo todas elas eliminatórias.


Ressaltamos que a inscrição no processo é voluntária.
A Rede Sustentabilidade de Chapada dos Guimarães/MT, como uma instituição diferenciada na política, e devido a retirada da pré-candidatura do Sr. Sidnei Varanis, busca com essa seleção/avaliação, pessoas comprometidas com os valores e ideais do partido, dispostas a atuarem na área pública e que tenham capacidade e experiência para fazer uma gestão de excelência.

http://redemt.org.br/selecaochapadadosguimaraes.html

As mudanças no ISS e suas consequências

Com a mudança na lei, a arrecadação proveniente de ISS dos municípios brasileiros distantes dos grandes centros urbanos irá aumentar. No entanto, o dos municípios próximos aos tais centros irá reduzir numa proporção consideravelmente maior. Uma vez que o valor arrecadado nos grandes centros urbanos, onde as sedes se localizam, será transferido para o município onde é tomado o serviço, a cidade sede “perderá” a receita proveniente do ISS retido por todos os serviços que a empresa realiza em todo país.  O que é o ISS O ISS (Imposto Sobre Serviços) é um tributo que compete aos municípios e age sobre a prestação de serviços. É regido pela Lei complementar 116/2003 e tem a relação de serviços prevista na Lei nº 11.438/1997.  A alíquota do ISS A alíquota do ISS possuí um valor variável. Isso significa que o município responsável por cobrar o ISS deve determinar o valor a incidir na base de cálculo. Sendo o valor máximo permitido de 5% e mínimo de 2% conforme art. 88 do ato das disposições cons…

O que se passa com o transporte escolar em Chapada dos Guimarães? Parte 1

Olá, meus concidadãos de nossa querida Chapada. Quero iniciar nossas conversas aqui, neste espaço democrático de discussão, provocando um tema que, há muito, tem sido negligenciado, até mesmo escondido, e que muito impacta o dia a dia de nosso município.
Refiro-me ao transporte de escolares. Todos sabemos o tamanho de nossa área e das distâncias que nossos filhos devem percorrer para terem acesso à educação fundamental DE QUALIDADE E COM SEGURANÇA.
Pois então, a Controladoria Geral da União - CGU recentemente fiscalizou Chapada dos Guimarães e apontou a OCORRÊNCIA DE SOBREPREÇO NAS AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS NO MONTANTE DE R$ 1.817.926,34, indicando que houve estimativas de preços inadequadas.
Esta fiscalização detalhou que este prejuízo atingiu as seguintes áreas:
Tabela:Sobrepreço apurado na fiscalização da CGU em Chapada dos Guimarães/MT. Programa/Ação Sobrepreço apurado (R$) Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar - PNATE 1.607.652,85 Programa Nacional de Alimentação…

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *